fbpx

notícias

Eleição de Morales mostra chegada de progressistas ao poder na AL, diz Lula

23/1/2006
A A

“As pessoas mais progressistas estão sendo eleitas em todos os países. Pela primeira vez, nós estamos percebendo a possibilidade de os países da América Latina deixarem de ser tratados apenas como países pobres ou países de Terceiro Mundo, e começarem a entrar no rol dos países desenvolvidos. Para isso, é preciso ter governantes sérios, comprometidos com a maioria do povo”, afirmou.
Lula disse também que, além do Brasil, outros países sul-americanos estão interessados em contribuir no processo de consolidação da democracia na Bolívia. “Todos nós estamos interessados em contribuir, em ajudar para que a experiência da eleição do Evo Morales seja uma experiência rica, exitosa e a Bolívia deixe de ter os conflitos que tem e passe a consolidar o seu processo democrático”.
O presidente lembrou a trajetória política de Morales e destacou a importância de um líder indígena ter assumido a presidência boliviana. Segundo Lula, o novo presidente tem capacidade de ajudar os mais pobres do país. “Ele (Evo Morales) ganhou as eleições com maioria absoluta, fez a maioria na Câmara, não tem maioria no Senado por apenas um voto, mas, de qualquer forma, ele é capaz de unir a Bolívia e de fazer com que aquela parte pobre da população possa ter os benefícios da riqueza que a Bolívia pode produzir”.
O presidente Lula participou ontem (22), na Bolívia, da cerimônia de posse de Morales.
Saída para o Pacífico
Com a nova ponte que liga o Acre ao Peru, o Brasil terá uma saída comercial por meio do oceano Pacífico, informou o presidente Lula. A ponte que liga Assis Brasil, no Acre, a Iñapari, no Peru, foi inaugurada por Lula e o presidente peruano, Alejandro Toledo, no último sábado (21). Construída sobre o rio Acre, a ponte tem 240 metros de extensão, 110 metros de vão livre, quatro pistas de rolamento e duas passarelas para pedestres. Os governos brasileiro e peruano investiram R$ 25 milhões na obra.
“Foi uma coisa muito importante, tanto para nós brasileiros quanto para o povo peruano, porque é a integração que vai permitir o trânsito entre pessoas, o trânsito de produtos peruanos, e o Brasil poderá ter acesso, com os produtos produzidos nos estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso, ao oceano Pacífico”, disse Lula.

De acordo com o presidente, exportações peruanas para o Brasil vão também ganhar impulso. Segundo o Ministério dos Transportes, a ponte promoverá o desenvolvimento nas regiões de fronteira e oportunidades de comércio, além de melhores condições para o escoamento de produtos da Zona Franca de Manaus. Essa é a segunda ponte inaugurada pelo governo brasileiro com o objetivo de integrar a América do Sul. A outra liga o Brasil à Bolívia e foi inaugurada em 2004.

Civilizada e moderna
O Brasil tem condições de promover uma reforma agrária civilizada e moderna, disse Lula, ao citar o projeto de desenvolvimento sustentável agroflorestal Nova Bonal. O presidente inaugurou o projeto, no sábado (21), no município de Senador Guiomard (AC).

Lula explicou que as famílias poderão plantar e explorar madeira no assentamento Nova Bonal, que tem 10 mil hectares. Segundo Lula, 80 pessoas já vivem na fazenda, adquirida pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em março de 2005. A meta do projeto é assentar 280 pessoas. “Esse projeto é a confirmação, a certeza de que a reforma agrária pode ser feita de forma muito mais civilizada, muito mais moderna do que historicamente o Brasil conhece”, afirmou.

“A gente vai poder fazer uma combinação de explorar parte da madeira dessa fazenda e, ao mesmo tempo, plantar frutas, pupunha, seringueira, cupuaçu junto com as árvores, ou seja, sem precisar fazer um desmatamento como habitualmente nós estamos vendo pelo Brasil afora. É um projeto extraordinário porque é um ciclo completo, ou seja, as pessoas produzem, industrializam e comercializam os seus produtos, é tudo o que as pessoas desejam na vida”, disse no rádio.

Fonte: Agência Brasil

compartilhe