Noticias

Pazuello será chamado a explicar “pixulé” na Câmara

 

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (Ctasp) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (6), requerimento de autoria da deputada Erika Kokay (PT-DF) para convidar o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello a explicar declarações feitas, em 24 de março, ao deixar o cargo no governo federal. Na ocasião, o general do Exército disse que lideranças políticas haviam pedido “pixulé” ao Ministério da Saúde no fim de 2020.

O termo utilizado pelo ex-ministro popularmente significa pedido de propina. “Chegou no final do ano, uma carreata de gente pedindo dinheiro politicamente. O que nós fizemos? Nós distribuímos todo o recurso do ministério. Foi outra porrada, porque todos queriam um ‘pixulé’ no final do ano”, afirmou Pazuello.

Segundo a deputada Erika Kokay, o general precisa explicar suas declarações. “Tivemos uma denúncia grave de um ex-ministro, que disse que estava sendo achacado em troca de propina, e que estava sendo sofrendo pressões políticas para recomendar medicamentos sem eficácia comprovada. Se ele não vier, não fomos nós que nos omitimos”, pontuou a parlamentar.

O vice-líder do governo na Câmara e membro da comissão, Ubiratan Sanderson (PSL-RS), foi contra a proposta e usou artifícios para tentar tumultuar a votação, com pedido de voto nominal. “É um requerimento inócuo, porque como militar da ativa, ele precisa de autorização do superior para poder vir. Não concordamos com esse tipo de atitude. É politizar um assunto que não pode ser politizado.”

Erika Kokay defendeu sua proposta, que saiu vencedora. “O ministro deve explicações a esse parlamento, porque ele ocupava uma das funções públicas mais importantes desse país. Mas alguns parlamentares tem medo de que ele venha se explicar.”