Noticias

Comissão realizará audiências públicas sobre a Caixa Econômica Federal

 

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (Ctasp) da Câmara dos Deputados realizará audiências públicas com representantes da Caixa Econômica Federal (CEF) para debater, pelo menos, três temas requeridos pela deputada Erika Kokay (PT-DF). A realização dos eventos foi aprovada pelos membros da comissão na reunião ordinária realizada nesta terça-feira (6).

O primeiro tema de discussão, de acordo com o Requerimento 12/2021, é a composição do quadro de pessoal da Caixa Econômica Federal e o fortalecimento da instituição como banco genuinamente público. Segundo Erika Kokay, o objetivo é agilizar a contratação de pessoas habilitadas para assumir os cargos por meio de concurso público. “Há uma lentidão muito grande da Caixa o que provoca uma sobrecarga de quem está trabalhando, e colide com a pretensão do próprio presidente da Caixa de fazer uma expansão das agências.”

Já o Requerimento 17/2021 tem como centro a discussão das violações de direitos de trabalhadores terceirizados da CEF. Esses empregados tiveram os salários diminuídos após o banco alterar, em janeiro, a vinculação deles do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Tabalho Temporário, Prestação de Serviços e Serviços Terceirizáveis do Distrito Federal (Sindeserviços) para o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), que possui uma convenção coletiva com valores de salários e de benefícios mais baixos, representando perdas significativas aos funcionários. “Parece que foi uma manobra que a Caixa efetivou para poder rebaixar as condições dos trabalhadores terceirizados”, criticou a deputada.

Por sua vez, o Requerimento 18/2021 tem como objetivo debater o papel da Caixa Econômica Federal na Pandemia. “Nós sabemos a importância da Caixa na construção de um país mais justo e igualitário. Ela tem uma função social que não colide com sua função empresarial e comercial. Por isso, queremos discutir o papel da Caixa no exercício do enfrentamento da pandemia, não só pelo auxílio emergencial, mas por toda a política que desenvolve”, justificou a parlamentar.