Noticias

PT luta para manter o auxílio emergencial de R$ 600 para o povo 

A bancada do Partido dos Trabalhadores apresentou o projeto de lei (PL 2283/20) que aumenta para um ano o período de concessão do auxílio emergencial e prevê, que após esse prazo, o benefício poderá ser prorrogado novamente pelo governo. 

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) questiona o fato do governo Bolsonaro se recusar a garantir o auxílio de R$ 600. 

“Bolsonaro liberou R$ 1,2 trilhão para os banqueiros - recursos que não estão chegando nas micro e pequenas empresas, nem ajudando a salvar empregos - e diz que não pode manter o valor atual de R$ 600? O auxílio custa em média R$ 50 bilhões por mês. Pode deixar o povo morrer, mas não pode mexer nos cofres públicos?”, questiona a parlamentar. 

Estamos diante de um governo que afaga banqueiros e apedreja os mais pobres, que devem escolher entre morrer de fome ou infectados com o vírus”, completa. 

A deputada lembra que Bolsonaro e Guedes queriam um auxílio de apenas R$ 200 por mês . 

“Nós do PT sempre defendemos um salário mínimo mensal. Foi graças a nossa pressão e da oposição no parlamento que arrancamos os R$ 600”, diz Kokay. 

A bancada do PT justifica que a prorrogação é necessária, pois os efeitos da pandemia serão prolongados e que a proposta do governo de pagar R$ 300 por mais dois ou três meses não é suficiente. 

“Nesse momento de profunda crise econômica, política e sanitária, o governo Bolsonaro não pode abandonar o povo à própria sorte. Bolsonaro tem sido irresponsável e incapaz de apresentar soluções para a pandemia e a economia. O governo Bolsonaro é a crise. Nós vamos insistir no auxílio de R$ 600 por entender que é medida fundamental para salvar vidas e a economia”, finaliza a deputada.