Noticias

Fora Weintraub

Impeachment de Weintraub já!

Venho a público manifestar meu apoio integral ao impeachment do ministro da Educação Abraham Weintraub. O ministro não é digno do cargo que ocupa e tem atuado de forma obscurantista à frente da pasta. Não temo em afirmar que é a pior gestão da história do Ministério da Educação.

Ao invés de cuidar do MEC, Weintraub prefere atacar a ciência, a liberdade de pensamento e de cátedra e está mais preocupado em fazer debates ideológicos vazios, perseguir educadores e universidades, travar uma guerra contra inimigos imaginários.  

Weintraub não está à altura dos enormes desafios que estão colocados para a educação brasileira. Relatório de Comissão Externa da Câmara, mostra que o MEC carece de planejamento estratégico e não tem um plano de ações para cumprir as metas do PNE. Há uma evidente fragmentação nas políticas e lacunas em áreas fundamentais.

Em 2019, foram diversas as iniciativas do governo que colocaram em risco a autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial das instituições de ensino superior, a exemplo, da interferência nos processos de escolha e nomeação de reitores. Vivenciamos a distribuição de recursos de forma arbitrária e de contingenciamento seletivo em universidades.

Enquanto o ministro cria fake news sobre plantação de maconha nas universidades brasileiras, preocupa-nos a baixíssima execução orçamentária da pasta em diversos programas.

Somente no chamado empoçamento, quando o dinheiro está liberado mas o ministério não consegue gastar, a cifra chegou a R$ 4,5 bilhões no ano passado.

O ministro não conseguiu sequer dar um direcionamento digno para o R$ 1 bilhão recuperado pela operação Lava Jato. Os recursos iriam para a educação básica, mas até hoje não foram utilizados e devem acabar no limbo.

A realização do ENEM 2019 é símbolo da profunda incompetência da atual gestão.

Por fim, Weintraub atua para destruir a memória e a história do MEC. Mandou retirar painéis do túnel do tempo da instituição, em Brasília, os quais traziam realizações de diversos governos, para fazer autopromoção de suas supostas realizações.

Por esses e outros tantos motivos, tenho convicção de que 2019 foi um ano perdido para a educação brasileira. Não podemos permitir que essa caricatura surgida das trevas continue dançando na chuva enquanto a educação está à beira do abismo.

Impeachment de Weintraub já é a nossa palavra de ordem em respeito à educação brasileira!


Erika Kokay

Deputada Federal PT-DF

Brasília, 07 de fevereiro de 2019