Noticias

Erika Kokay defende reestruturação das carreiras e aumento salarial para PMDF e CBMDF

A Comissão de Legislação Participativa (CLP) debateu a reestruturação do Plano de Carreira da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), em audiência pública nesta quinta-feira (03). Os militares pleiteiam que Governo do Distrito Federal (GDF) apresente uma proposta para as duas corporações, a exemplo do que fez com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

“O governador Ibaneis acha que pode hierarquizar as polícias e trata policiais civis de forma diferente de militares. Isso só demonstra a sua falta de capacidade de governar. Ele não pode governar de acordo com as suas preferências”, declarou a deputada Erika Kokay (PT-DF). A parlamentar propôs que a Bancada de Parlamentares do DF elabore manifesto em apoio à reestruturação da carreira dos militares.

Erika Kokay reafirmou o seu compromisso e o da bancada federal com o reajuste da polícia civil e lembrou que todo o segmento da segurança pública deve ser contemplado. “São profissionais que estão todos os dias nas ruas, enfrentando o imponderável e usando o próprio corpo como escudo para salvarem vidas”, afirmou a parlamentar.

Outro ponto destacado por Kokay é a reestruturação da carreira. Hoje, policiais e bombeiros militares não conseguem atingir o topo da carreira devido ao interstício para a promoção de praças e oficiais. Os militares são levados para a reserva automaticamente após 30 anos de serviço prestado, para atingir o topo da carreira. Bombeiros levam 36 anos e policiais 40 devido à regra. “O interstício é cruel, pois você não estabelece um fluxo de carreira”, ressaltou a parlamentar.

PL 1645/19

O Projeto de Lei, que altera as regras para a previdência de militares, foi outro ponto de preocupação apresentado. A proposta é duramente criticada pela base, o governo é acusado de privilegiar as carreiras das forças armadas em detrimento de policiais e bombeiros militares. Entre os pontos mais polêmicos, está o aumento de 30 para 35 anos no tempo de serviço e a progressão salarial, que varia entre 3,82% e 59,49%. 

Confira a fala da deputada na íntegra: