Noticias

Erika assina pedido de abertura de CPI para investigar milícias

A deputada Erika Kokay assinou hoje o pedido de abertura da CPI das milícias na Câmara Federal. A dois dias de completar um ano do assassinato de Marielle Franco e de Anderson Gomes, a polícia civil do Rio de Janeiro prendeu dois suspeitos de participação no crime. O policial reformado Ronnie Lessa, de 48 anos, é acusado de ser o autor dos 13 disparos, e Élcio Queiroz, ex-policial militar expulso da corporação, é acusado de dirigir o veículo de onde partiram os disparos.

Em nota, o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro afirma que o crime foi meticulosamente planejado nos três meses que antecederam a execução de Marielle e Anderson. Na denuncia, os promotores concluíram que “é inconteste que Marielle Francisco da Silva foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia” e que a execução é um golpe ao Estado Democrático de Direito.

Os dois acusados foram presos ao saírem de casa, Ronnie Lessa mora no mesmo condomínio que Jair Bolsonaro e uma de suas filhas teria namorado com um dos filhos do presidente. A deputada Erika ocupou a tribuna, na tarde desta quarta-feira (12), para cobrar explicações sobre a proximidade do núcleo da família Bolsonaro com as milícias no Rio de Janeiro.