Noticias

Erika Kokay é homenageada pelo Distrito Drag por sua luta em prol da cidadania LGBTI

Emoção e crítica política marcaram a festa de lançamento da 2ª edição do Calen Drag, realizado na terça-feira (20/11), em Brasília. O evento organizado pelo Distrito Drag, um coletivo formado por artistas com o objetivo de difundir a cultura LGBTI a partir da arte drag, não poupou críticas ao presidente eleito Jair Bolsonaro e ao avanço do conservadorismo na sociedade brasileira.

O calendário de 2019 traz mulheres cis e trans que deixaram legados de luta, arte e política. A vereadora e ativista dos direitos humanos e LGBTI, Marielle Franco, brutalmente assassinada há 8 meses no Rio de Janeiro, é capa da obra.

Ruth Venceremos, Drag Queen integrante do Coletivo Distrito Drag, destaca a importância do Calendário. “É uma iniciativa que traz a arte conectada com a vida. Aqui estamos nós, produzindo um calendário que não é apenas um calendário. Estamos falando de um projeto de humanidade, um projeto que em 2019 estará traduzido por mulheres que deram suas vidas para que a nossa geração pudesse chegar onde chegou”, disse Ruth.

Homenagem - A deputada federal Erika Kokay (PT-DF), o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) e o deputado distrital eleito Fábio Felix (PSOL-DF) foram homenageados durante o evento pela atuação política em prol da cidadania LGBTI no DF e no Brasil.

“O Distrito Drag se consolidou na nossa cidade. Promove a resistência a partir da arte, da criação. Todas as vezes que a gente cria, a gente constrói a liberdade, a liberdade que eles querem arrancar do nosso peito, da nossa voz e do nosso corpo. Não vão conseguir”, disse emocionada a parlamentar, durante a entrega da homenagem.

“Não vamos nos submeter a uma ordem que oprime e nega a nossa humanidade”, completa Kokay.

Confira a íntegra da fala da parlamentar.