Noticias

MPDFT pede arquivamento de denúncia contra Erika Kokay

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu o arquivamento de denúncia infundada contra a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) por supostos desvios de recursos do Sindicato dos Bancários do DF. O processo, que tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF), foi encaminhado para a primeira instância após decisão da Corte Suprema de restringir o foro privilegiado.

 O parecer do MPDFT pela absolvição segue entendimento da Procuradoria-Geral da República (PGR). “A PGR já havia se manifestado, no último dia 2 de maio, pouco antes do inquérito ser remetido à primeira instância, pelo arquivamento da investigação por absoluta falta de provas que pudessem atestar qualquer tipo de ilícito”, afirma Kokay.

Segundo a parlamentar, como a PGR é a dona da ação penal e já opinou pelo arquivamento juridicamente não há outra alternativa senão arquivar o inquérito. “Esse é o caminho natural que deverá ser adotado pelo judiciário para que seja reestabelecida a justiça e a verdade”, completou.

Entenda o caso – A acusação falsa de desvios de recursos do Sindicato partiu de um ex-servidor da deputada, demitido de seu gabinete pela prática de violência doméstica. O mesmo, posteriormente, foi alvo de investigações que comprovaram relações com o então deputado distrital, Pedro Passos. O referido parlamentar respondia, à época, a um processo de cassação de seu mandato em Comissão presidida por Erika Kokay, quando a parlamentar ocupava uma cadeira na Câmara Legislativa do Distrito Federal.  

“As acusações falsas originaram 4 inquéritos. Todos, um a um, tem sido arquivados”, diz a parlamentar.