Noticias

Erika Kokay critica gestão Rollemberg na saúde

 

Ainda que se possa questionar a “prioridade” das obras do estádio Mané Garrincha, o governo Agnelo Queiroz (PT) foi infinitamente melhor em todas as áreas, particularmente na área da saúde, no comparativo com o desastre que é a gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB). 

 

As acusações grosseiras do presidente regional do PSB, Jaime Recena, refletem o desespero de Rollemberg e tentam esconder, sem sucesso, a incompetência e inoperância desse governo.

 

Para citar apenas algumas realizações do governo petista:

 

- Foram construídas 8 Unidades de Pronto Atendimento (UPAS). A primeira UPA construída no governo Agnelo, em Ceilândia, é a maior do Brasil;

 

- Reformou 30 postos de saúde;

 

- Inaugurou o Hospital da Criança;

 

- Construiu 9 clínicas da família;

 

- O Programa Carreta da Mulher contava com 4 carretas que realizaram mais de 200 mil exames, a exemplo, de mamografias e exames ginecológicos em várias regiões administrativas;

 

- Criou a Carreta da Visão, que realizou cerca de 20 mil cirurgias de catarata e mais de 30 mil consultas;

 

- Contratou cerca de 16 mil servidores de diversas especialidades;

 

- Ampliou a cobertura do Programa de Saúde da Família. Saiu do patamar de 8% para 56% ao final da gestão;

 

- Brasília foi considerada recordista nacional em transplantes;

 

- Segundo o IBGE, Brasília foi a cidade que mais investiu em saúde pública por habitante;

 

O GDF tinha a previsão de construir outras 3 novas UPAS e terminar a segunda UPA da Ceilândia. Como Rollemberg não foi capaz de realizar as obras, o dinheiro foi devolvido para o Ministério da Saúde.

 

Poderia citar, ainda, o descalabro da gestão Rollemberg que levou ao sucateamento do SAMU-DF. O serviço, que vivencia a sua mais grave crise, foi descredenciado pelo Ministério da Saúde e teve repasses da ordem R$ 9 milhões suspensos por parte do MS.

 

Portanto, dizer que a gestão Rollemberg está recuperando a saúde do DF é atentar contra a realidade dos fatos e a inteligência do povo de Brasília.

 

Por fim, se o PSB considera que delações da Andrade Gutierrez são provas, o partido também assume a veracidade das delações do Sr. Ricardo Saud, ex-executivo da JBS, que afirmou ter repassado mais de R$ 850 mil à campanha de Rollemberg ao Palácio do Buriti, doação que seria disfarce de práticas ilícitas?

 

Erika Kokay

Presidenta do PT-DF

06 de junho de 2017

 

Erika Kokay também ocupou a tribuna da Câmara para criticar a gestão de Rollemberg na saúde. A parlamentar rebateu a nota do presidente regional do PSB, Jaime Recena. Recena disse que o governo estaria recuperando a saúde no DF, afirmação que Erika classificou como um atentado aos fatos e à inteligência do povo de Brasília.

Confira o pronunciamento completo no youtube:

 

https://youtu.be/4q9amD60uW4