Home  »  Destaques  »  Erika Kokay lança sua campanha à reeleição com lotação máxima no Teatro dos Bancários
set 13, 2018

Cerca de mil pessoas passaram pelo Teatro dos Bancários para o lançamento
da candidatura à reeleição da deputada federal Erika Kokay. O evento contou
com diversas categorias que apoiam a candidata, além de antigos colegas do
Sindicato dos Bancários, da CUT, amigos e familiares.
Estavam presentes representantes dos Acampamentos 15 de agosto,
Tiradentes e Marielle Franco, em São Sebastião. Funcionários dos Correios,
representantes do Sindserviço, da ONG Estruturação, da Casa Frida e de sete
acampamentos do MST: 8 de março, Dandara, Maria da Terra, Roseli Nunes,
Canãa, Oscar Niemeyer e Noleto Angélico. Rodrigo Rodrigues, secretário-geral
da CUT-DF, demonstrou seu apoio num discurso enfático. “O mandato de Erika
Kokay nunca desviou um milímetro da classe trabalhadora. Nunca ela teve
dúvida da pauta da classe e sempre norteou sua atuação pelas necessidades
dos trabalhadores” afirmou.


Os candidatos majoritários do Partido dos Trabalhadores também estiveram
presentes. “Basta de Temer, basta de Rollemberg. Temos que apresentar
nossa nominata. Relembrar as tarefas que temos a frente, como de derrotar a
reforma trabalhista e impedir a retomada da reforma da previdência. A Erika foi
a única parlamentar do DF que fez diferença na Câmara Federal”, falou o
candidato ao Senado Wasny de Roure. Já Marcelo Neves, que também
concorre a vaga de senador, falou do engajamento da deputada. “Erika é
paixão política e consciência. Ela luta com força e coragem no Congresso”.
Cláudia Farinha, candidata a vice-governadora, falou da admiração que sente
pela parlamentar. “Pluralidade significa Erika Kokay. Ela tem uma grande
representação. É minha referência e representa inserção das mulheres nos
espaços de poder”. Julio Miragaya, que concorre ao GDF, ressaltou os tempos
sombrios que vivemos atualmente. “Movimentos que descambam para o ódio e
a opressão são a antessala do fascismo. Erika tem sido defensora
intransigente dos trabalhadores. Ela é incansável na defesa dos diversos
segmentos sociais e representa luta pelos ideais de liberdade”.

A família de Erika Kokay deixou carinhosos depoimentos em vídeo para a
cerimônia. O filho mais velho, Leon, lembrou que fez parte de lutas
importantíssimas, sempre sendo levado pela mãe nas atividades políticas.
“Hoje você é uma referência de direitos humanos, igualdade, mulheres,
trabalhadores, um exemplo de coragem”. Pablo, outro filho de Erika, ressaltou
a relação de sensibilidade dela com os filhos. “Você sempre nos tratou com
muito respeito desde criança. Pelas nossas opiniões, nosso jeito de ser.
Sempre nos educou com muita paciência”. E completou “você não tem medo
de lutar contra a injustiça social, retirada de direitos, mas nunca deixou de lado
sua sensibilidade. Tenho muito orgulho de ser seu filho e de ter você como
liderança política no DF”.

A filha Natasha lembrou que na terceira série descobriu que a mãe era
especial. “Quando eu era criança eu achava que todas as mães eram iguais a
você. Mas quando eu fiz uma redação falando que todos são iguais e a
professora elogiou muito e vi que nem todas as mães eram assim. Você nos
ensinou muito, inclusive que as mulheres podem ir além, que eu posso ser o
que eu quiser e que neutralidade em tempos de crise é ser injusto”.
O companheiro André contou que desde cedo Erika Kokay manifesta essa
indignação social. “Hoje ela é essa parlamentar aguerrida e com muita
sensibilidade. Para mim ela é uma estrela e faz a diferença”. A mãe, dona
Mimosa, fez um pedido: “Que você continue com essa luta, com esse
entusiasmo, que o povo precisa de você”.
Erika Kokay lembrou que a construção do Teatro dos Bancários, onde ela
sempre faz os lançamentos de suas candidaturas, foi uma ousadia da categoria
bancária na época. “Eu tenho uma alegria em ser parte dessa categoria, que
eu sempre farei parte, sempre serei bancária. Esse teatro foi construído para
ser um útero pulsante da cultura no DF, como um presente para a população”,
lembra. A deputada falou da ocupação dos espaços públicas pelas mulheres e
pelas crianças. “Hoje aqui está minha família, meus meninos e meninas que
sempre foram comigo, na construção dessa sociedade, pois as crianças têm
que entender que temos muitos mais filhos e filhas”. E lembrou “O Brasil que
nos queremos nós experimentamos o começo dele no governo de Lula. Vamos
colocar o Brasil de novo nas mãos do povo brasileiro, porque ele foi arrancado
do povo!” Ainda segundo Erika, o mandato não é um fim em si mesmo. “O
mandato só tem sentido se for um espaço para transformar a sociedade e
elevar a dignidade humana”.