Home  »  Destaques  »  Câmara comemora os 35 anos da Central Única dos Trabalhadores
set 5, 2018

Erika Kokay participou na última segunda-feira (27/08/2018) da sessão solene em homenagem ao 35 aniversário da CUT. A sessão aconteceu no plenário Ulisses Guimarães, da Câmara dos Deputados. A mesa foi presidida por Vicente Paulo da Silva, mais conhecido pelo apelido de Vicentinho. Ele, que já foi presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), abriu a mesa agradecendo a presença de todos os presentes.

Um vídeo institucional, falando sobre toda a história da CUT, foi exibido em um telão e após as deliberações inicias, o atual presidente da CUT-DF, Rodrigo Rodrigues, foi convidado a falar sobre a situação de Brasília, onde discursou que, dos 8 deputados federais de Brasília, apenas Erika Kokay votava a favor do povo, usando como referência o jogo da seleção brasileira contra a Alemanha, no qual o Brasil perdeu de 7 a 1. “Erika Kokay é uma das maiores parlamentares que temos nessa casa”, elogiou Rodrigo, dizendo ainda que a parlamentar era uma incansável defensora da classe trabalhadora.

O presidente comentou sobre o processo eleitoral e sobre ex-presidente Lula. “Nós estamos agora num processo eleitoral, onde temos o principal candidato, aquele que é mais aclamado pelo povo, que lidera pesquisa de intenções de voto, que está preso e condenado injustamente para ser impedido de competir nas eleições”. Uma chuva de aplausos se deu após a fala de Rodrigo, com pedidos de “Lula Livre”.

Vicentinho tomou novamente a palavra para elogiar Erika Kokay. “Você é a melhor deputada de Brasília, uma das melhores deputadas do Brasil”. Ela tomou a palavra para falar sobre o atual momento da política brasileira. “Durante todo esse tempo, nós estamos lutando para que se faça justiça nesse país. Nós estamos lutando para que o povo brasileiro tenha consciência de um período muito traumático da nossa história”, referindo-se a ditadura. Em seu discurso, falou sobre Lula ser preso político, do atual governo que tem feito de tudo para evitar sua candidatura e do golpe que tirou Dilma do poder.

Foto: Karina Zambrana